segunda-feira, 23 de agosto de 2010

domingo, 15 de agosto de 2010

Nada de retrocessos.

Há alguns meses, na data 14 de março, esteve no ar mais uma edição do programa “Custe o que custar”(CQC) da rede Bandeirantes.O programa vem ganhando cada vez mais audiência e aborda temas muitas vezes polêmicos e problemáticos da nossa sociedade brasileira.Nessa edição foi exibida uma reportagem realizada na Câmara, na qual ficou comprovado que a maioria dos parlamentares assinam projetos sem ter conhecimento do conteúdo do mesmo.
Assim como eu, outras milhares de pessoas tiveram a oportunidade de testemunhar o descaso absurdo com que são tratados assuntos que podem influenciar na vida de muitos cidadãos.Ao apresentar uma proposta fictícia de acrescentar um litro de cachaça na cesta básica, não foram poucas as figuras importantes no cenário da política que assinaram o projeto.E agora, depois de desmascarados, reclamam ataques e querem colocar em risco a nossa tão fragilizada democracia.
Percebo que os meios de comunicação estão tendo cada vez mais relevante papel na história política.Se não fossem por eles, vários crimes poderiam estar impunes e projetos sérios que expressam a vontade popular, como a Lei Ficha Limpa, nem chegassem ao Congresso
Felizmente ainda há programas na televisão brasileira como o “CQC” que se preocupam em desalienar a população brasileira quanto à realidade.E é a partir de flagrantes como esse que a população começa a se mobilizar.Desrespeito não é o que esses jornalistas fazem com a imagem dos parlamentares e sim o que eles fazem com o nosso dinheiro, com o nosso futuro, com a nossa República democrática.Agradeço que ainda tenhamos no país liberdade de expressão e acredito que é inadmissível aceitarmos que se implante novamente uma ditadura, mesmo que informacional.
Diante desse quadro, é necessário que todos os brasileiros, mesmo que dificilmente, tenham esperança no futuro da nossa democracia.Em épocas de eleições tudo parece muito sujo, falso.E é quando mais se precisa acreditar na mudança que podemos fazer.Infringir a nossa liberdade é crime e lutemos para que continue sendo ilegal.Não podemos aceitar retrocessos.