terça-feira, 17 de março de 2009

O Brasil é um país preconceituoso?

Basta um olhar crítico sobre a sociedade brasileira para termos a triste percepção de que o preconceito perdura ainda depois de séculos, apesar de sua mesquinha camuflagem.O preconceito não tem base em nenhum argumento lógico já que não provém do conhecimento.
No nosso país a igualdade é imposta por intermédio de leis, que na verdade são apenas máscaras para acobertar tal problema que ataca em diversos aspectos como: étnico,social, secual, religioso, gênero e etc. Apesar da existência dessas leis, a justiça do país prefere ignorar o problema do que combatê-lo.
Em consequencia do preconceito no Brasil mulheres ganham até 30% menos do que homens em um cargo de mesmo nível, cidadãos abrem conflitos religioso faltando tanto com o respeito moral como o físico, negros ocupam funções e categorias inferiores em relação aos brancos. Toda essa injustiça, resultado de esteriótipos negativos, precisa receber um olhar mais atencioso da sociedade e de seus governantes.
Em um país de diversidades contrastantes é inadmissível que haja tratamento diferente sobre qualquer pessoa. A solução é admitir essas diferenças e impor a melhor maneira de vetá-las, lembrando que todos tem a mesma capacidade, não sendo nenhum melhor que o outro.A tarefa é árdua; como já dizia Albert Einstein : " Triste época.É mais fácil desintegrar um átomo que um preconceito" , porém, com assiduidade sobre as verdadeiras necessidades, o peso na balança será positivo.Vejamos uma boa situação exemplo: cotas universitárias para negros; que servem apenas para evidenciar a discriminação racial onde o melhor a fazer seria investir no ensino público, dando oportunidades iguais a todos.
Em tempo de globalização que se caracteriza-se pela integração econômica e SOCIAL é de importância obrigatória, que seja preservado o direito de igualdade entre os seres humanos. O Brasil precisa de doses de educação e consciência para formar "cidadãos pensantes" dispostos a melhorar. Afinal, o que pensamos, passamos a ser.

Nayara S. Ferreira

Um comentário:

lalah disse...

Isso aí futura aluna de Comunicação Social, o texto ficou maravilhoso. Me parece uma redação do cursinho... ;)