domingo, 14 de março de 2010

Um filme: Na natureza selvagem.



O dinheiro é mesmo necessário ou nos tornamos escravos dele?Em busca de uma resposta para essa questão é que Christopher McCandless  parte para uma experiência única.Cansado de viver ao redor de mentiras e máscaras e convecido de que o materialismo é uma grande mazela da sociedade, abandona a casa dos pais e pega a estrada rumo ao único lugar que poderia estar distante do dinheiro dos homens: a natureza.
Em 1990, com 22 anos, Christopher termina a faculdade – vontade maior de seu pai-  e doa todas as suas economias  a uma instituição de caridade (cerca de US$24 mil), muda de identidade e passa a se chamar Alexander Supertramp.Sem informar a sua família e com uma mochila nas costas começa sua viagem,primeiramente em seu carro velho e com pouca grana,porém, para se sentir livre, queima o restante do dinheiro e abandona o carro.A partir daí o seu trajeto é seguido a pé,de canoa ou mesmo de carona.
 Chega a passar por Arizona,Califórnia,México mas o seu destino final era Alasca, onde ele acreditava sentir a sintonia máxima entre natureza e homem,totalmente  livre das algemas do materialismo.No percurso conhece pessoas de várias culturas, que o ajudam de alguma forma.Conheceu comunidades hippies e aprendeu muito com elas.Depois de cada encontro as pessoas não são as mesmas, há grande transferência de conhecimento e experiências.
Algumas pessoas ajudavam como podiam, oferecendo casa,comida ou emprego temporário. Supertramp começa a aprender mais sobre as plantas e o que elas podem oferecer, aprende também a caçar.Depois de dois anos de jornada seu corpo é encontrado dentro de um ônibus abandonado,morto por inanição e envenenamento de uma semente nativa, à 30 km da entrada do parque nacional Denali no Alaska.
A história de Supertramp virou filme e livro, traduzidos ‘’Na natureza selvagem’’.A resposta que ele procurou  dar a sociedade pode ser interpretada de muitas maneiras, mas com certeza o seu ato de coragem nos faz refletir sobre até quando o dinheiro realmente importa.Nos faz pensar até onde essa busca pode nos levar e se ela realmente supre todas as necessidades ou se é só supérfluo.

Um comentário:

l a l a h disse...

Caramba, eu que gosto muito de filosofar sobre essas coisas de materialismo e liberdade com certeza vou procurar esse filme.
Negocio ta bravo aqui na facul, nao tive uma aula, mas tive um trote hehe
Como ta indo ai em uberlandia?
bjus, se cuida